Comportamento Relatórios Webshoppers 40º e NuvemCommerce apontam amadurecimento do consumo on-line

Relatórios Webshoppers 40º e NuvemCommerce apontam amadurecimento do consumo on-line

Por Aline Truchetti em 11 de fevereiro de 2020

O Webshoppers 40º, pesquisa mais recente divulgada pela Ebit-Nielsen, mostra números expressivos sobre o comércio eletrônico brasileiro. Ainda com base na 5ª edição do e-book NuvemCommerce, trouxemos informações completas com as previsões para este ano. Confira!

Já não é nenhum segredo que o consumidor está se tornando cada vez mais exigente, principalmente dentro do comércio on-line.

Deste modo, oferecer melhores condições de usabilidade e navegação são práticas fundamentais para atrair visitantes e finalizar vendas.

Para se ter uma ideia do crescimento do comércio eletrônico no mundo, o Statista, confirmou que a receita total de faturamento em 2019 foi de US$ 3,53 trilhões, 17% a mais em relação ao ano anterior.

Assim, a expectativa é que até 2022, esse número chegue a US$ 6,54 trilhões, ou seja, o valor praticamente será dobrado em um período de dois anos.

Na América Latina, o faturamento foi de US$ 61,55 bilhões em 2019, portanto, a estimativa é que até 2022 a arrecadação seja de US$ 82,33 bilhões, resultando em um aumento de quase 34%.

Percebe-se que este é um mercado promissor, por isso, conhecer o perfil dos consumidores e suas principais urgências ajudará a direcionar campanhas concretas e a estreitar o relacionamento com o cliente.

Continue a leitura para mais detalhes!

Consumidores brasileiros

Atualmente, o portal G1 divulgou que 70% da população brasileira está conectada à internet.

E de acordo com a PwC afirma que 1/3 dessas pessoas realizam compras on-line ao menos uma vez por semana.

Diante dessa taxa, é possível que o Brasil chegue a 87 milhões de consumidores digitais ainda este ano, isto é, 19% a mais que em 2018.

Sobre o perfil desses consumidores, o NuvemCommerce concluiu que 30% deles fazem parte da geração Z, melhor dizendo, são as pessoas que nasceram em meados dos anos 90.

Aí vai um alerta aos lojistas, já que as particularidades de cada público é que comandam as estratégias que deverão ser praticadas.

Fique atento para não perder nenhuma oportunidade!

Crescimento do e-commerce brasileiro

O relatório Webshoppers 40º, revelou alguns números relacionados os crescimento do e-commerce brasileiro, acompanhe!

Por duas vezes, esse aumento correspondeu a 12%, sendo essa uma avaliação do primeiro semestre de 2019 e 2018. Veja:

Faturamento do e-commerce 2019 segundo do Webshoppers 40
No primeiro semestre de 2018 e 2019, o crescimento correspondeu ao mesmo percentual, ou seja, 12% em cada período

Já o volume de pedidos aumentou significativamente, saltando de 8% (R$ 54,4 milhões), do primeiro semestre de 2018, para 20% (R$ 65,2 milhões), em 2019.

Destaque para os bens não-duráveis

Neste quesito, os bens não-duráveis foram os preferidos dos consumidores.

O Webshoppers 40º, apontou que os produtos relacionados a perfumaria, cosméticos e saúde, junto com moda e acessórios empataram no percentual de número de pedidos, dividindo o pódio de primeiro lugar, com 18% cada.

O segundo maior foram os alimentos e bebidas, com 3% do total de número de pedidos.

Mercadorias de petshop, acessórios automotivos e brinquedos e vídeo games, atingiram 2% cada na lista, assim, joias e relógios e o ramo de móveis para escritório representaram 1% cada.

Reconhecemos que esses números reforçam o amadurecimento do consumo on-line de bens não-duráveis no Brasil, já que a previsão de fechamento para 2019, segundo o Webshoppers foi:

Webshoppers mostra previsão de faturamento promissor em 2019
O cenário, de acordo com o Webshoppers 40º, foi promissor e com previsão de crescimento

Total de vendas em 2019

Dos 29,4 milhões de consumidores que realizaram uma compra no primeiro semestre de 2019, 5,3 milhões são novos compradores.

Ou seja, fizeram pela primeira vez uma compra on-line, como mostrou o Webshoppers 40º.

O NuvemCommerce apresentou a somatória das vendas de 2019, visando todas as lojas virtuais brasileiras que usam sua plataforma, acumulando mais de R$457 milhões, aproximadamente R$182 milhões a mais que em 2018.

Além disso, outro dado interessante foi que 22% das vendas foram realizadas através das mídias sociais.

O que nos leva a ressaltar a importância da sua loja estar presente messe meio. Então, para compreender melhor o que isso representa, vamos ao próximo tópico.

A influência das Redes Sociais

O Webshoppers 40º constatou que os sites de busca são os primeiros motivadores de compra, envolvendo 25% das indicações, já o segundo maior são as redes sociais, com 19%.

Assim, do total de consumidores que adquiriram um produto através de indicação de redes sociais, 80% disseram ter ficados satisfeitos em relação ao preço e foram os que mais elogiaram a compra.

Observe a influência de cada uma delas:

Redes sociais são motivadores de compras
O Webshoppers 40º, revelou que as redes sociais é o segundo maior motivador de compras

Vendas em datas especiais

Os comerciantes aproveitam essas datas para aumentar as vendas e faturar mais, além disso, esta é uma grande oportunidade para conquistar e fidelizar clientes.

Em 2019, os lojistas fizeram bom uso do calendário, porém, uma data se manteve firme e foi o destaque do ano.

Já tem ideia de qual seja?

É claro que estamos falando da Black Friday, que contou com a participação de 50% dos lojistas, seguido do Natal com 28,5%.

Esses dados foram levantados pelo NuvemCommerce, que divulgou também o ticket médio e o total de vendas das duas principais datas:

Datas especiais de maior vendas e participação de lojas
A Black Friday e o Natal contaram com a participação de um grande número de lojistas

Porém, nesta pesquisa, fomos surpreendidos pela quantidade de lojas que não desenvolvem nenhuma ação especial.

São 39,2% de lojistas que não se beneficiam de nenhuma data para impulsionar vendas!

Que tal diminuirmos esse número? Caso precise de ajuda acesse esse material:

O uso de dispositivos mobile

Como uma tendência que vem comprovando sua força e permanência, os dispositivos móveis estão garantindo seu espaço e aumentando gradativamente o favoritismo para acesso as lojas virtuais.

O que nos leva a sustentar esse fato é que o número de pedidos feitos através desses aparelhos teve um crescimento de 10 pontos percentuais.

O que resultou em 42% dos pedidos no primeiro semestre de 2019, contra 32% no mesmo período do ano anterior, conforme o relatório Webshoppers 40º.

Além disso, o faturamento mobile também teve ganhos, subindo de R$ 6,7 bilhões, em 2018 para R$ 9,6 bilhões, em 2019, já o valor do ticket médio teve uma queda de 9%, de R$ 386 para R$ 353, respectivamente.

Contudo, de acordo com o relatório do NuvemCommerce, baseado no estudo da PwC, metade da população brasileira realiza pelo menos uma compra por mês usando dispositivos móveis.

Assim, a previsão é que neste ano, essas operações atinjam a marca de 107 milhões de usuários brasileiros, 12% a mais que no ano de 2018.

Mais um alerta para adaptar seu site para o modo responsivo, assim você garante que o cliente tenha uma experiência agradável.

Atendimento personalizado

Para se ter ideia, um atendimento qualificado poderá render ótimos resultados, como a satisfação e fidelização do cliente, mas para que isso aconteça, é necessário que o lojista analise algumas mudanças no comportamento do consumidor.

Uma delas é a agilidade nas respostas, já que com o aumento do uso das redes sociais e demais canais, os consumidores também se tornaram mais rigorosos quanto ao tempo de espera para uma resposta.

Assim, o NuvemCommerce nos mostra que as mídias sociais foram as mais usadas para o processo e atendimento e, como já era esperado, o WhatsApp disparou na frente com 91,1%, seguido pelo Instagram, com 70,9%, e-mail, com 60,1% e Facebook, com 49,4%.

Esses números evidenciam a necessidade do lojista em se adequar e oferecer canais alternativos com suporte eficiente e flexível.

Preferência nos meios e formas de pagamento

Entre as formas de pagamentos oferecidas pelos e-commerces, o Webshoppers apontou o cartão de crédito como favorito do consumidor, usado em 67% das compras, seguido do boleto bancário com 19%.

O pagamento à vista também ganhou a disputa, sendo a primeira opção de 52,6% dos compradores, com um ticket médio de R$ 338.

Já o NuvemCommerce, mostrou que os meios de pagamentos em destaque foram o PagSeguro, Mercado Pago e a Wirecard, correspondendo a 47%, 20,86% e 10,69% nesta ordem.

Opções de frete

Como mencionamos anteriormente, uma das principais causas para o abandono de carrinhos é o alto custo do frete.

Neste ponto, o Webshoppers revelou que 60% dos consumidores preferem pagar o frete mais barato, mesmo que o prazo de entrega seja mais longo.

E 47% deles não aceitariam pagar mais caro para receber o produto mais rápido.

Para resolver essa questão, existem diversos meios que podem ser praticados pelos lojistas, com a finalidade de melhorar e otimizar a logística de entrega.

O NuvemCommerce mostrou que mesmo o Correios sendo a forma de envio escolhida por 50,80% dos consumidores, em comparação a 2018, a empresa sofreu uma queda de 7,2%.

Assim, podemos observar que os meios de fretes personalizados e alternativos estão conquistando cada vez mais espaço, correspondendo a 40,37%.

Leia alguns materiais que poderão ajudar a entender melhor esses processos:

Conclusão

Para lidar com um consumidor cada vez mais exigente, é necessário oferecer soluções simples, rápidas e fáceis.

A relação com o consumidor será definida através da experiência que ele teve dentro da sua loja, desde sua jornada até o pós-venda.

O omnichannel, mais do que nunca, deve ser integrado ao seu negócio, já que os mundos on-line e off-line, com a evolução digital, passam a coexistir.

O podcast também fazem parte da lista de tendências para 2020, já que de acordo com o NuvemCommerce, 55% dos internautas ouvem um podcast por mês e para os próximos anos a estimativa é que o consumo de áudio no Spotfy seja de conteúdo não-musical.

A Inteligência Artificial, possui alta expectativa de crescimento, já que para 2020, pressupõe-se que 60% dos e-commerces usarão a IA, segundo pesquisa da Gartner.

Para mais informações de pesquisas sobre o comportamento do consumidor em 2019, clique aqui!

Gostou do conteúdo? Deixe sua dúvida ou comentário e até a próxima!

*O NuvemCommerce é um relatório anual da Nuvemshop, onde são apresentados insights sobre o comércio eletrônico em 2019, bem como perspectivas o ano.
** Webshoppers é o relatório sobre o comércio eletrônico brasileiro e considerado a principal referência para os profissionais do segmento.

Comente, sugira e participe: