Dicas Loja virtual ou marketplace? Descubra vantagens e desvantagens desses canais

Loja virtual ou marketplace? Descubra vantagens e desvantagens desses canais

Por Jaqueline Piva em 9 de outubro de 2019

Loja virtual ou marketplace? Para quem planeja abrir um e-commerce e começar a vender online, essa é uma dúvida frequente, principalmente se você for daqueles que pesquisam bastante antes de tomar uma decisão.

As duas opções estão em crescente alta no mercado e são opções cabíveis a diferentes perfis de negócio.

Quando falamos de e-commerce, logo vem à cabeça as lojas virtuais. Um site próprio onde a pessoa vende seus produtos, porém existem outros formatos de vendas online, o marketplace.

O que é e como funciona uma loja virtual

Uma loja virtual é um espaço onde você vende seus produtos. É a escolha de uma plataforma, meios de envio, frete, banners, preços, logotipo e meio de pagamento.

Quando o lojista escolhe esse formato, fica responsável por todas essas escolhas e definições.

Abrir uma loja virtual requer um processo completo de escolhas, além das questões de criação e implementação da mesma.

Vou explicar desde o começo: quando uma pessoa decide abrir uma loja virtual, ela precisa, inicialmente, saber como ela irá configurar e qual plataforma utilizar, isso inclui escolher uma agência para criação ou temas prontos.

Só essas decisões já ocupam tempo e entendimento sobre o e-commerce da pessoa. Mas não é um bicho de sete cabeças, é importante nesse momento que iniciantes guardem cada experiência, seja ela boa ou ruim.

A partir disso, surgem muitas outras questões técnicas, como layout, integrações, precificação, questões burocráticas e afins. Bem resumidamente, para iniciar uma loja virtual é necessário o mínimo de tempo e conhecimento.

Existem soluções que facilitam a vida do lojista não experiente, essa decisão cabe a cada um. Mas, é essencial tomar essas decisões com um olhar a longo prazo.

Além das configurações técnicas, processos de atendimento, envio, administração diária, negociações e criação de estratégias fazem parte da vida do lojista.

O que é e como funciona um Marketplace?

O Marketplace por sua vez é um canal que concentra diversos lojistas para venderem seus produtos em um só lugar, como um shopping. Esse é um modelo que funciona como uma vitrine para o e-commerce.

Para entrar em um marketplace é necessário ter produtos para vender. Eles estarão lado a lado com produtos de outros lojistas e você pagará uma taxa para a plataforma de marketplace a cada produto seu que for vendido.

Questões como logística, frete, segurança e meio de pagamento são responsabilidades da plataforma ou pode ser trabalhado em conjunto.

Qual dos dois escolher?

Não existe certo ou errado ao escolher. Existe a melhor opção para o momento em que se encontra o lojista. Vamos apresentar algumas vantagens e desvantagens em relação a cada um.

Lucratividade

Os gastos com as duas são relativos. Ao abrir uma loja você gasta mais, porém o lucro da sua loja é totalmente seu. No marketplace existe a taxa por produto que é paga para a plataforma.

Inicialmente, o marketplace traz um retorno lucrativo mais rápido. Isso porque a visibilidade dos produtos é imediata, visto que, o tráfego do marketplace é algo consolidado e milhões de pessoas passam por lá diariamente.

Enquanto ao iniciar as vendas de uma loja virtual, é preciso atrair o público para que te conheçam. Isso requer mais um investimento, o marketing.

Porém, a longo prazo, com uma loja estabilizada, o lucro obtido pode ser maior que a do marketplace.

Uma prática comum para quem vai abrir um negócio na internet é iniciar as vendas no marketplace pelo menor investimento, e após validado os produtos, com uma cartela de clientes e um caixa mais garantido, investir em uma plataforma de e-commerce, onde o espaço seja só seu.

Autonomia

Ausente nas plataformas de marketplace, o lojista não possui autonomia para expandir e empregar sua marca. Criar uma identidade visual, trabalhar ações de fidelização, personalização, atendimento humanizado, consciência de marca e otimizações não são possíveis aos vendedores da plataforma.

Além disso, a dependência causada pelo marketplace é prejudicial ao lojista, sendo que o funcionamento e ações contratuais podem mudar.

Dessa forma, uma loja virtual é mais vantajosa quando se trata de consolidação de marca, requer investimento, porém atua-se com mais tranquilidade e autenticidade.

É claro, isso cabe a lojistas que pretendem expandir sua marca e trabalhar para esses fins.

Relacionamento com o cliente

O Marketplace não proporciona um relacionamento estreito entre empresa e cliente, pois, em alguns casos, os dados dos clientes são de ciência da plataforma. Sendo que essas informações são importantes para ações de marketing como envio de e-mail marketing, promoções, newsletters.

Em lojas virtuais é possível trabalhar a personalização da comunicação com cada tipo de cliente.

Conclusão

Se não chegou a nenhuma conclusão de qual escolher, opte por trabalhar com os dois! Essa também é uma opção para quem pretende investir o que tem em sua marca.

De qualquer forma, avalie suas necessidades neste momento, investimento e soluções disponíveis. Em qualquer uma das duas deixe fixado para seus clientes o poder da sua marca.

Comente, sugira e participe: