Marketing Digital Neuromarketing: o que é e sua influência na decisão da compra

Neuromarketing: o que é e sua influência na decisão da compra

Por Jaqueline Piva em 24 de julho de 2018

O neuromarketing é a junção entre a neurociência e o marketing, como o próprio nome já diz. A neurociência busca entender como o cérebro humano funciona.

O marketing digital vem tomando cada vez um espaço maior no trabalho dos especialistas, e os estudos para que as estratégias sejam mais eficazes também é frequente.

Com as mudanças no hábito dos consumidores é necessário se aprofundar para tornar cada experiência única e personalizada.

Dessa forma é apropriado que se conheça o caminho que um usuário percorre e como funciona esse percurso mais profundamente, usando da psicologia para encontrar essas respostas.

 

O conceito de neuromarketing

O neuromarketing é considerado uma nova ciência que estuda o comportamento do computador e que também pode ser o futuro da inteligência que cuidará do marketing.

O marketing mais do que nunca vem se reinventando e as estratégias que antes eram usadas hoje não fazem mais o mesmo efeito, é preciso acompanhar as mudanças no comportamento do consumidor.

E é nesse momento que o neuromarketing passa a ser usado.

Essa ciência busca compreender como o cérebro reage de acordo com cada estímulo a ele dado. Isso é feito através de ressonância com equipamentos de tecnologia.

O neuromarketing estuda o comportamento do cérebro para entender os motores psicológicos de compra no seu estado incognitivo, utilizando os sentidos e as emoções que geram o motivo da compra.

O neuromarketing não é a estratégia para fazer marketing e sim o estudo no qual os profissionais se baseiam para traçar as estratégias.

 

Como é o neuromarketing na prática

O processo de tomada de decisão não acontece de forma racional e lógica como costumamos acreditar e dizer por aí. Os estímulos para a compra acontecem de forma inconsciente.

O cérebro pode ser divido em três partes:

Cérebro Reptiliano: controla tudo aquilo que é responsável pela sobrevivência.

Cérebro Límbico: processa emoções mais complexas e é ativado pelos 5 sentidos.

Neocórtex: parte que acreditamos usar para tomar decisões, controla o raciocínio e o lado social.

 

As marcas usam esses conhecimentos para direcionar os usuários no funil de vendas. Através das cores, textos, símbolos, mensagens subliminares e muitos outros gatilhos mentais.

 

Neuromarketing

Práticas adotadas segundo o neuromarketing

 

O uso das cores

As cores têm grande influência nas decisões de compra. Elas têm um grande potencial sobre as emoções, é comprovado que as cores e as emoções têm ligações. Cabe estudar o significado de cada tom para usar de acordo com o objeto em questão.

 

Poucas opções de escolha

De acordo com a neurociência, o cérebro não gosta de ficar em dúvidas, por isso, ofereça poucas escolhas. Se você tem muitas opções, acaba por ficar em dúvida e não escolher nenhuma.

 

Aversão a perda

Os consumidores odeiam sentir que estão perdendo, quando uma alternativa é colocada como uma perda, os consumidores ficam mais propensos a comprar. A grande maioria prefere não perder do que ganhar. As pessoas dão mais valor ao que correm o risco de ficar sem.

 

Design

O neuromarketing também tem influência no design do site. A partir do modo como o site é projetado, os botões posicionados, as escolhas das cores e fontes, tudo conspira para a experiência do cliente no site. Por exemplo, layouts horizontais são menos eficazes do que os verticais. Quanto melhor o design, mais as pessoas navegarão nele, além de gerar confiança para fazerem compras.

 

Rostos de pessoas

Somos seres humanos e interagimos com seres humanos. Rostos de pessoas atraem e causam uma empatia. Temos a tendência a corresponder olhares. Seja rostos femininos, masculinos ou de bebês.

 

Apesar dos diversos estudos, o neuromarketing ainda é novo e não tanto explorado, e quem utilizam saem na frente da concorrência. Os resultados dos estudos visam pela qualidade e direcionamento das campanhas de marketing.

Entender como o público pensa e se comporta é a chave para desenvolver melhor suas estratégias. Assim, é de extrema importância utilizar os estudos sobre neuromarketing.

 

 

 

 

Comente, sugira e participe: