E-commerce Esporte no e-commerce: vale a pena vender para esse público?

Esporte no e-commerce: vale a pena vender para esse público?

Por Jaqueline Piva em 19 de fevereiro de 2019

Esse segmento teve maior alta, de forma repentina, tanto na abertura do e-commerce, como na venda dos produtos. Esse crescimento teve pico de vendas, em conjunto com a maior visibilidade de vendas de lojas virtuais, em 2010.

A alta se deu em 2010 por conta da Copa do Mundo na África do Sul. O esporte estava na rotina de todo o mundo. Todas as atenções se voltaram para o futebol, o que propiciou aumento na venda de artigos esportivos.

Até aí, entendemos como se iniciou as atividades no segmento.

Mas por que o segmento continuou crescendo?

As lojas físicas de artigos esportivos por sua vez possuem certa deficiência nas variedades de produtos, como por exemplo, a dificuldade de clientes de encontrar camisas de times de outros estados. E por isso, nas lojas virtuais, existe maior possibilidade de opções, já que ali não existem fronteiras.

Mas… não só de camisa de times de futebol as lojas sobrevivem. No ramo esportivo muitas modalidades estão crescendo e o público tomando gosto por novos esportes, poucos conhecidos ou praticados no Brasil.

No relatório Webshoppers 38º que avaliou o primeiro semestre de 2018, o segmento de Esporte e Lazer foi destaque registrando crescimento de 35% em relação ao mesmo período do ano passado em volume de pedidos. O relatório aborda ainda que dentro desse crescimento, os produtos mais vendidos foram suplementos nutricionais e camisas de time de futebol.

 

Esporte é destaque em 2018

 

Outro fator que impulsiona o mercado de acessórios de esporte e lazer é a procura pela melhoria de qualidade de vida. Produtos ligados a essa finalidade são muito procurados.

E podem ser diversos os produtos a serem vendidos, como roupa de ginástica, roupas específicas de determinados esportes, acessórios para praticar, suplementos, podendo ainda ser separado por nichos. Uma loja que venda, por exemplo, só produtos relacionados a basquete.

Um ponto que faz com que esse segmento cresça são os eventos sazonais, que no esporte, perduram por bastante tempo. São os campeonatos, temporadas, clássicos, que fazem as lojas virtuais venderem mais.

O esporte também é um segmento que carrega uma legião de fãs, o que ajuda a movimentar o mercado. Os fanáticos são aqueles gostam de ter colações, produtos originais e que esperam por novidades.

O que mais eu posso vender? Algumas ideias para vender produtos:

  • Uma boa sacada dentro desse e-commerce, são os clubes de assinaturas. Principalmente no futebol, esse modelo de venda, é bastante visado.
  • Uma outra vertente importante e que tem espaço no e-commerce, são os produtos personalizados. Camisetas, sempre ganham nesse ranking. Personalizar por grupo, para a família, colocar nome, cores, caem no gosto dos torcedores.
  • Caso seu objetivo seja atingir público diferenciado, atender demanda de produtos de esporte internacionais, para os brasileiros, da a oportunidade dessa ponte. Aqueles que comprariam em lojas internacionais, podem adquirir seus produtos com lojas daqui.

 

Conclusão

São diversos os nichos que podem ser trabalhados dentro do segmento de esportes. Basta focar em um e criar a loja que atenda a necessidades do que você irá vender. Nessa modalidade, o importante é saber conversar com o público alvo, já que cada um tem suas especificidades que são bem particulares.

A Netzee possui em seu portfólio, quatro cases de lojas que estão ligadas ao esporte, são elas: Cariocas FC, Roupas para Ciclistas, Strike Sports e a Bike Runners. Todos eles segmentados a um esporte, da forma em que colocamos.

Assim, como praticar um esporte, necessita de coragem e nos convida a aventura, incorpore esse espírito, e abra a sua loja.

 

Comente, sugira e participe: