E-commerce Como funciona a migração de plataforma de e-commerce

Como funciona a migração de plataforma de e-commerce

Por Jaqueline Piva em 29 de janeiro de 2019

Migrar de plataforma é um assunto que gera medo em algumas pessoas, geralmente por más experiências passadas. Mas não deveria ser assim. Apesar de ser um processo cauteloso, é possível fazer uma migração que não cause frustrações.

A migração, nesse caso, é quando você muda a estrutura da sua loja, como por exemplo, antes sua loja estava na plataforma da Loja Integrada e agora passou para a Tray, ela ainda é a mesma loja, mas muda de plataforma. Nisso, são transferidos os dados da loja e dos clientes, de uma para a outra.

O layout também muda, não tem como usar o mesmo. E aí vai de acordo com cada lojista como fazer um novo layout de acordo com a plataforma escolhida.

Para chegar a conclusão de migração, pode-se ter alguns motivos pontuais que levam a essa decisão:

  • Melhoria nas páginas
  • Carregamento lento
  • Painel administrativo insatisfatório
  • Instabilidade em dias de pico e datas comemorativas
  • Maior possibilidade de integração
  • Suporte especializado
  • SEO mais consistente
  • Novas funcionalidades

Algumas vezes por conta desses fatos, a plataforma deixa de ser valida e útil para o lojista. Além dessas causas, muitas outras dores de cabeças e melhorias podem gerar o desejo da migração.

E se nesse momento passou pela sua cabeça, algum motivo no qual te deixa desconte com a atual plataforma, talvez seja o momento de escolher outra.

Vender e estar presente na enorme disputa do comércio virtual não é fácil, na verdade se torna ainda mais difícil quando você não está contente com os resultados que estão sendo obtidos. Então é sim possível procurar por uma plataforma que atenda suas necessidades e parece que ela não existe, mas existe.

Apesar dos desafios, identificar o momento ideal para migrar e realizar o processo de forma bem-feita e estrategicamente pensada pode ser o caminho para uma melhor fase de conversões, sem que se corra muitos riscos.

Optar por uma migração nem sempre envolve apenas problemas, talvez seja um processo natural que ocorre conforme o amadurecimento do e-commerce.

 

Como funciona a migração?

Uma migração de plataforma requer estudo, planejamento e análises. Primeiro, devem ser colocados os pontos positivos e negativos da atual plataforma, todos os problemas enfrentados e o motivo da migração.

Com esses pontos evidentes, é possível idealizar as necessidades da loja que uma nova plataforma deve ter. Diante as novas opções, devem ser analisados também todos os pontos, para que também essa migração não precisa ocorrer de novo.

Fique atento a alguns aspectos durante a escolha da plataforma:

  • Custo total do processo; desde a aquisição da plataforma até a customização e manutenção;
  • Integrações compatíveis as suas necessidades;
  • Compatibilidade com atuais integrações do e-commerce;
  • Segurança que a plataforma oferece, quanto aos certificados e selos e proteção do código;
  • Suporte oferecido para caso de dúvidas e casos “emergentes”;
  • Versão mobile adequada e amigável;
  • Otimização para SEO;
  • Escalabilidade;

É importante pensar estrategicamente para que a nova plataforma atenda também necessidades futuras, que atenda toda a demanda e tenha previsão de funcionalidades que sirvam para expandir o negócio.

 

Migração de plataforma de e-commerce

 

Desafios encontrados na migração

O maior erro é deixar de migrar por medo! A enrolação pode te levar a ter prejuízos maiores. Fazer isso sozinho é impossível, a não ser que você seja um especialista em desenvolvimento, então não tem como correr das agências e nem deve! É só saber escolher.

 

Escolha bem a agência

De primeiro e de grande importância é a escolha da agência que irá realizar todo o processo e acompanhamento.

O mito que envolve a migração como um problema para lojistas, muitas vezes é fruto de serviços não qualificados de agências. Pesquise as referências das agências para optar pela melhor.

 

Preservação dos dados

Um dos problemas que envolvem a migração, no qual já foi relatado a nós de clientes advindos de frustrações, é a perca do banco de dados, que incluem o cadastro de usuários e produtos, histórico de pedidos e dados importantes.

 

SEO

Outro problema é em relação ao SEO, que influencia diretamente no posicionamento da página no Google. A migração muitas vezes interfere nas questões de SEO por conta da mudança de domínio da URL.

Nesses casos, são usados os redirecionamentos, chamado de redirect 301. Isso garante que mesmo que uma URL não exista mais, as pessoas que acessarem o endereço antigo, serão automaticamente direcionadas ao novo site. Isso evita também que exista duplicação de endereços para um mesmo site.

 

Compatibilidade de integrações

O que pode acontecer também é a instabilidade do site ser constante. No momento de escolha da plataforma é importante também analisar as integrações que a nova plataforma aceita. Sistemas de ERP, certificados SSL, marketlplaces, CRM, precisam ser compatíveis com as integrações aceitas pelas plataformas.

 

Seguindo com cautela e paciência, é possível ter uma migração tranquila e com sucesso. E ai os resultados se darão por conta da nova plataforma. O segredo é saber escolher com quem trabalhar e em quem confiar para colocar a loja em suas mãos. Se a sua atual plataforma não te agrada, não pense duas vezes em optar por uma que tenha mais funcionalidades, onde você pode vender muito mais.

 

 

Comente, sugira e participe: